• ven. Sep 17th, 2021

Audio

Caritas Africa : être sur tous les fronts contre la pauvreté

2015-06-15 Radio Vatican

Un entretien avec Jacques Dinan

AP2201076_LancioGrande(RV) Entretien – L’Union africaine vient de clore son 25e sommet. Cette réunion qui a rassemblé les chefs d’Etat et de gouvernement de toute l’Afrique à Johannesburg, en Afrique du Sud, a été dominé par la crise politique au Burundi et par « l’affaire Béchir ». La Cour pénale internationale, qui poursuit le président soudanais pour génocide, crimes de guerre et crimes contre l’humanité, avait demandé à l’Afrique du Sud de procéder à son arrestation. Le gouvernement sud-africain a préféré ne pas donner suite et a laissé repartir ce lundi Omar el-Béchir vers Khartoum.

Ce sommet devait cependant être consacré aux femmes et à leur « autonomisation » mais les dossiers politiques du moment ont occulté ce thème qui reste, parmi tant d’autres, incontournable pour le continent. Parmi les acteurs qui essaient d’améliorer les sociétés et les conditions de vie, figure la Caritas Africa, qui regroupe les Caritas de l’Afrique subsaharienne. Son ancien secrétaire exécutif, Jacques Dinan, de passage à Rome, revient sur l’action qu’a mené l’organisation ces dernières années, notamment dans le domaine de la lutte contre la pauvreté comme il l’explique au micro de Xavier Sartre.

 

(Tratto dall’archivio della Radio Vaticana)

______________________________________________________

Igreja \ África

Cáritas – reforçado o espírito de família e cooperação fraternal

Radio Vatican – 19 maio de 2015

 

O Cardeal Arlindo Furtado e a Drª Marina Almeida, respectivamente, Presidente e Secretária da Cáritas Nacional de Cabo Verde – RV

Terminou domingo em Roma, na Domus Maria, depois de uma semana de trabalhos, a XX Assembleia da Cáritas Internacional, uma confede-ração de 164 Cáritas nacionais, às quais se juntou este ano mais uma. A do Sudão do Sul.

A Assembleia que elegeu como seu novo Presidente para os próximos 4 anos, o Cardeal Tagle, das Filipinas, aprovou também para esse período um plano estratégico articulado em 5 pontos. Mas para além disso, sobressai o espírito de família e de cooperação fraterna entre os diversos membros da confederação – sublinhou Michel Roy que foi confirmado no cargo de Director que vinha desempenhando havia já quatro anos.

No que toca ao plano quadrienal, o Director disse que em primeiro lugar está o intento de pôr a Cáritas no centro da pastoral da Igreja; depois continuar a melhorar a resposta às urgências, como catástrofes naturais, conflitos, e às consequências crónicas que deixam atrás de si. Em terceiro lugar, promover o desenvolvimento humano integral num duplo binário: reforçar as organizações comunitárias para que desenvolvam as suas próprias iniciativas e estabeleçam parcerias com as autoridades nacionais e locais. Por fim, continuar a construir uma solidariedade global com base numa pedagogia Cáritas. Nesta linha se inscreve a campanha mundial sobre o direito à alimentação para todos e a preocupação de dar visibilidade às acções da Cáritas Internacional. O quinto ponto do plano estratégico pretende fazer com que todos os membros das Cáritas estejam à medida de desempenhar a sua missão como cristo como referência e com profissionalismo.

Terminada a Assembleia em Roma, um bom número dos participantes deslocavam-se segunda-feira a Milão, onde a Cáritas tem neste dia 19 uma jornada especial na Expó 2015, Exposição Universal, cujo tema fundamental desta edição é precisamente a alimentação no mundo de hoje. O Cardeal D. Arlindo Furtado, Presidente da Cáritas de Cabo Verde e Marina Almeida, Secretária, vão lá estar sobretudo com olhos de observador:

A Assembleia da Cáritas Internacional foi precedida da Conferência da Cáritas- África, que elegeu também um novo corpo directivo. A Presidência passou de D. Francisco Silota, Bispo de Chimoio em Moçambique,  para o arcebispo de Kumasi, no Gana, D. Gabriel Yao Anokye, e o Secretário, de Jacques Dinan, das ilhas Maurícias para Albert Mashika, da República Democrática do Congo, em cuja Cáritas trabalhava desde 2001.

À pergunta com que espírito assume a missão de Secretário da Cáritas-África que engloba as Cáritas nacionais de 46 países a Sul do Sahara, Albert Mashika disse:

“No momento em que fui eleito senti que a responsabilidade que me foi confiada é pesada. Mas não tenho medo porque o Senhor que quis que fosse eleito para esse lugar de responsabilidade há-de me dar os recursos necessários para realizar esta missão na sua Igreja. Devo dizer que há também coordenadores de zonas, são 6 em África, e conto também com eles para realizar a missão que me foi confiada. Cada uma das 46 Cáritas tem um papel a jogar  na actuação do plano estratégico que adoptamos e que cobre o período 2015-2019.”

Albert Mashika garante também que as diferenças linguísticas não constituirão uma barreira. É que os de expressão oficial portuguesa se lamentam da prevalência do francês e do inglês nas reuniões e documentos da Cáritas-África, tendo eles sempre de se esforçar por se adaptar…

“Estatutariamente falando, sei que as línguas de trabalho da Cáritas-África são o inglês, o francês e o português. O meu predecessor, Jacques Dinan, cada vez que publicava algo, documentos como o quadro estratégico, o boletim de informação… fazia um esforço para que fossem publicados nas três línguas da Cáritas-África. E eu prometo continuar nesta mesma linha. Mas há também os colegas da Guiné-Equatorial que são de língua espanhola e lamentam-se do facto de não se falar espanhol na Cáritas-África. Faremos também um esforço em relação à Cáritas da Guiné-Equatorial para que se integre na família das Cáritas-África e poderemos ver as modalidades práticas a pôr em acto  durante as nossas reuniões. As línguas não deverão ser uma barreira, mas uma oportunidade para realizar a missão. A nossa preocupação é manter a unidade da África e de fazer com que as diversas Cáritas, qualquer que seja a língua de trabalho se sinta membro da Família Cáritas e haverá disposições que serão tomadas para que as línguas não constituam uma barreira.”

A Cáritas-África que passa agora a fazer parte do SCEAM, Simpósio das Conferências Episcopais da África, com sede em Gana, transferirá a sua sede de Lomé, no Togo, para o Gana – disse-nos ainda o neo-secretário, Albert Mashika.

______________________________________________________

rfi

Cap Océan Indien

Jacques Dinan

Jacques Dinan, secrétaire exécutif de Caritas Africa

Par Abdoollah Earally

 

 

Vues : 168

Translate »